14 de novembro de 2010


Não foram felizes para sempre

Mas é só o fim da história que importa? Outro dia, uma amiga veio aqui em casa, começamos a conversar sobre literatura e acabei, meio a contragosto, emprestando um livro para ela (sim, sou essa pessoa chata que não gosta de emprestar livros! Ninguém devolve. Sei disso porque estou cheia de livros dos outros em casa). Bom, depois que emprestei, fiquei toda curiosa para saber o que ela tinha achado. Ela não costuma ler muito, mas eu tinha a certeza de que deste livro, ela ia gostar. Depois de enrolar meses, ela finalmente começou a ler. Daí, um dia ela entra no MSN e fala: "Terminei o livro". Pergunto: "E aí. e aí?" E ela responde: "Ah, não gostei do final." Sério. "Não gostei do final": isso é tudo o que ela tinha a dizer? Suspirei e perguntei oque ela achou, então, das outras 290 páginas, já que não tinha curtido as ultimas dez. "Ah, sei lá, achei que a história ia acabar indo pra outro lado", ela respondeu. Desisti e não comentei mais sobre o livro (a não ser para cobrar a devolução). E fiquei pensando: quantas vezes a gente não dá muito mais valor ao final das coisas do que a história toda? Nem é só com livros ou filmes. Tem gente que tem um namoro perfeito, que durou três anos felizes, sem nenhuma discução. Ok, isso não existe. Mas enfim, o namoro foi lindo a maior parte do tempo e teve um final péssimo - digamos, o cara se apaixonou por uma menina e ambos fugiram para o Caribe. Por que essa parte tem que apagar os três anos inteiros, como se eles não tivessem valido a pena ? Tenho uma amiga que ama com todo o amor dela detonar o ex porque ele a largou de repente (embora não tenha fugido para o Caribe com ninguém). Hoje, ela já está toda serelepe com outra pessoa, mas, se você pergunta sobre aquele namoro, ela já vai respondendo que foi uma história sofrida, que quase morreu e tal. Ou seja, os momentos em que os dois tomavam sorvete sorvete, os passeios a harmonia , tudo sumiu, e ficou só um cara sem coração e um fim sofrido. Pior, ficou aquela sensação de "não deu certo". Aliás, se tem uma coisa que sempre detestei nos meus fins de namoro é que alguém me perguntava: "Ah. mas por que não deu certo?" Só porque acabou, não deu certo? Para mim, passar um tempo feliz com alguem é, sim, dar certo com essa pessoa, vai. Já me peguei fazendo isso também: encanando com a parte chata de uma conversa que por horas, foi tão agradável; recordando justamente a hora da festa que não foi legal. Por que ? Por que ? Pode ser hábito, pessimismo, memória ruim. Sei lá. Só sei que eu, até hoje, não faço a menor ideia se existe vida depois da morte. Sem querer ser mórbida nem nada, se não existir, a gente vai ter que se contentar com um final bem sem graça para nossa trajetória: puf, sumimos da Terra. E aí, a vida valeu menos por causa disso ? Não acho. Prefiro me focar nas 290 páginas que eu aproveitei.
1

1 comentários:

BÃÍLÂ disse...

Concordo plenamente com vs, *-*

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t